Fórmula de Jogos ::: Desenvolvimento de Jogos - 2015 / 2016 / 2017 / 2018

1 - IDEIA - Como ter ideias para jogos

May 1, 2016

 

  
Bem-vindos ao primeiro módulo do curso sobre o desenvolvimento de jogos digitais. 

 

Hoje nos vamos aprender sobre a concepção da ideia e suas variáveis. Mas o que é uma ideia ? O termo "ideia" é muito abstrato e possui muitos significados, por isso precisamos conceituar este termo e utilizar uma metodologia para que possamos organizar os nossos pensamentos e transformá-los em ação.

No decorrer do curso vamos descobrir os primeiros passos para organização de nossa ideia.

Para isso precisamos aprender sobre o tema, o brainstorm, as referências, os personagens, o StoryBoard e por fim os tipos de jogos.

 

 

1.1 - Tema 

  

A primeira coisa que temos que pensar é no tema. O tema é de grande importância para o planejamento de nossos jogos.

Ele é a base principal que auxilia as nossa ações para o desenvolvimento das diversas fases que envolvem um jogo. 


Ao elaborar o tema tente ser o mais imaginativo e criativo possível. Tente elaborar novas ideias inventivas e permita que a criatividade flua.

 

 

1.2 - Brainstorm 

 
Com um tema definido devemos começar o BrainStorm, mas o que é isso ? O BrainStorm é traduzido como tempestade cerebral, simplificando, tempestade de ideias. 

 

Para que possamos utilizar esta técnica devemos dedicar um tempo definido previamente e anotar todas as ideias relativas ao tema que tivermos neste período.  

 

Após isso, devemos descartar as palavras que achamos desnecessárias e começar realizar uma associação com as palavras mais pertinentes ao tema principal. 

 

Desta forma, já poderemos ter uma ideia aproximada do que queremos para o nosso jogo.  

 

 
1.3 - Referências


Agora... vamos as referências. Com uma ideia aproximada do que desejamos, devemos começar a buscar pela maior quantidade de informações, sobre o nosso tema principal.

Podemos buscar diversas formas de conteúdo como imagens, vídeos, áudio, textos e até mesmo, ver e jogar uma grande maioria dos jogos de nossos concorrentes.

Uma boa fonte de informações e o Índice de buscas do google, com ele poderemos encontrar diversas páginas com termos referentes ao nosso tema e ao nosso projeto.

Não esqueça também de realizar buscas no Youtube onde poderemos ver desde gameplays, até diários de desenvolvimento de diversos jogos, tanto profissionais como amadores.

E para finalizar coloque tudo isso em um papel, ou melhor, crie pasta e categorias em seu computador para organizar a grande quantidade de informações coletadas durante a nossa pesquisa.


 

 
1.4 - Personagens

Com a nossa ideia um pouco mais definida, devemos começar a imaginar os primeiros personagens de nosso jogo. Para isso, poderemos utilizar o nosso tema principal e utilizar a imaginação em torno das palavras, que criamos anteriormente em nosso Brainstorm.

O nosso personagem deve conter características primarias, secundárias e terciárias para a construção de sua identidade visual e personalidade.

Vamos imaginar um exemplo.

Vamos dizer que o nosso personagem principal seja um lagarto, isso mesmo um lagarto,

A grande maioria dos mais importantes personagens principais de animações, filmes e jogos são com personagens totalmente fora do tradicional.

Como exemplo temos o Kung-fu Panda, que é um urso obeso que luta caratê. Também temos, o nosso famoso Mário Bros que é o que ? Um encanador...... Entenderam o conceito.

Então dando continuidade ao nosso personagem principal, o lagarto, vamos imaginar que ele seja musculoso e tenha com um perfil semelhante ao Rambo e uma faixa vermelha na cabeça.

Vocês viram que nos já começarmos a imaginar.... Já criamos o personagem em nossa cabeça antes mesmo que vê-lo na tela de um computador.

Então, devemos sempre criar personagens diferenciados e carismáticos para os nossos jogos.

 

 
1.5 - StoryBoard

Agora que já temos uma ideia bem a aproximada do que queremos. Vamos começar os primeiros esboços com a criação de nosso StoryBoard.

O StoryBoard é uma maneira visual de representação dos diversos elementos que compõe o nosso jogo.

Como itens de nosso projeto temos os personagens, os cenários, as animações, as telas de instruções e muitas outras coisas, então o Story Board serve justamente para isso. Juntar todos esses elementos em um documento e transformá-los em um guia para os nosso designs, programadores, projetistas de sons e demais profissionais que integram a equipe.

Através do Story Board também é possível desenhar os níveis de nosso jogo, incluindo a sua mecânica e gameplay


 

 

1.6 - Tipos de Jogos 

 

Agora devemos escolher o tipo de jogo que queremos desenvolver.  

 

É importante lembrar que muitas vezes estamos limitados ao software que utilizamos, pois diversos jogos demandam um grande quantidade de conhecimento, equipamentos e profissionais especializados para sua produção. 

 

Com a indústria dos games crescendo de forma exponencial poderemos sempre contar, cada vez mais, com ferramentas personalizadas como Unity 3D, Unreal (Produção de jogos em terceira dimensão) e Construct 2 e Gamemaker (produção de jogos em duas dimensões). 

 

Agora vamos ver alguns dos principais tipos de jogos que existem no mercado. 

 

Os Jogos de Platafoma são um gênero onde o jogador deve correr, pular entre plataformas e obstáculos, enfrentar inimigos e coletar itens para passar por diversas fases.  

 

O mais conhecidos são: Mários Bros, Supermetroid e Castelvânea entre outros.

Não podemos esquecer os jogos "indie" que são produzidos de maneira independente mas com uma qualidade semelhante aos profissionais.  

 

Dentre eles podemos destacar:  Braid, Limbo e Super Meat Boy. 

 

 Outro tipo que jogo que se destaca bastante são os jogos ao estilo FPS - First Person Shooter ou Jogos de tiros em primeira pessoa.

Este tipo de jogo tem revolucionado o mercado com superproduções de alta qualidade e histórias envolventes. 

 

A sua jogabilidade consiste em uma visão em primeira pessoa onde se vê tudo pelo campo de visão do jogador. O que torna a ação bem mais realista. Basicamente o personagem carrega uma certa quantidade de armas e o jogo se passa em um cenário 3D. 

 

Como exemplo temos Battlefield, Doom, Call of Duty dentre outros. 

 

Os simuladores são utilizados tanto para diversão como para treinamento profissional. Os ambientes simulados testam reflexos, aplicam e avaliam conhecimentos previamente 

adquiridos e medem as reações dos profissionais em diversas situações que eles não precisam vivenciar para experimentar. 

 

Como exemplo, temos o Euro Truck Simulator (Simulador de caminhões, onde o jogador entra na pele de um caminhoneiro e deve realizar diversas ações durante o jogo).  

 

Outro grande exemplo e o  The Sims que nada mas é do que um jogo de simulação da vida real. O jogador cria e controla a vida de pessoas virtuais e tem que fazer com que eles sobrevivam aos altos e baixos do dia a dia.  

 

Estes... são apenas alguns exemplos da grande variedade de tipos de jogos que temos no mercado, não podemos esquecer os Jogos em terceira pessoa, Jogos Hack´n Slash, Jogos de Estratéria e multiplayer como StarCraft e League of Legends que são uma febre entre os jogadores de todo mundo. 

 

Ok Galera!!! Então é isso... Nesta aula aprendemos um pouco mais sobre o desenvolvimento de jogos digitais.  

 

Aguardo vocês em nosso próximo encontro. 

 

 


 

Please reload